terça-feira, 16 de junho de 2015

RÚSSIA E SÍRIA

SÍRIA: TRANSFORMANDO ARADOS EM ESPADAS
Pr. Érico Rodolpho Bussinger
O que estamos vendo na situação política do Oriente Médio em nossos dias? Na verdade, o que queremos ver lá? Sem dúvida, muitos querem ver por lá sinais de uma paz possível. Mas por enquanto, entre nós, ainda são poucas as pessoas “muito preocupadas”. Isso porque o Oriente Médio ainda está um pouco longe de nós. Mas nem tanto de outros, como dos EUA, China e Rússia. Para esses, o Oriente Médio já preocupa.
Para qualquer análise sobre os tempos em que vivemos eu acho útil ter em mente um quadro bíblico a respeito da Escatologia. Afinal, se cremos na Bíblia, acreditamos que há um fim... E como ele se dará?
Na minha concepção pré-milenista (que é hoje a de mais de 90% dos evangélicos brasileiros), hão de se formar dois grandes blocos de nações que protagonizarão o ARMAGEDONO Ocidente, sob o governo do anti-Cristo (basicamente EUA + Europa- os demais são simples agregados) e o Oriente (China + Japão + Coréia + etc.). Esses dois blocos já estão se formando, primeiro economicamente e depois militarmente. Os maiores investimentos militares da atualidade são desses países, como China, Japão e Coréia, depois dos EUA. Não há qualquer identidade da Rússia com esses 2 blocos. Nem dos países árabes e muçulmanos. E Israel?
É claro que Israel tem o seu caminho próprio, muito bem descrito na Bíblia. Esse caminho levará Israel ao cerco pelos demais países, à Grande Tribulação e depois à conversão a Deus, de Zc.12:10 e muitas outras passagens.
E que dizer da Rússia? E dos países muçulmanos? É bom lembrar que o islamismo não é uma simples religião, opcional a qualquer pessoa. É muito mais que isso. O islamismo é um sistema de vida, de governo, de escravidão e subjugação humana. E está crescendo. Mas pela Bíblia não será duradouro. Então, como será o seu fim? Lembre-se que eles têm multidões sob controle, mas não têm armas (seus governos são sempre ineficientes). Eles têm necessariamente, em guerras, que se aliarem a “quem tem armas”.
Eu vejo nesses tempos do fim a Rússia e seus aliados (CEI) junto aos muçulmanos, cumprindo Ez.38 e 39. Caso não o seja, como explicar hoje (na visão pré-milenista) esses 2 capítulos? E o futuro da Rússia e dos países árabes e muçulmanos?
Em Ez.38 e 39 Deus afirma que nos últimos dias, depois que a nação Israel já tiver sido restaurada, Ele trará o Gogue, príncipe de Magogue e seus aliados (entre eles Etiópia, Líbia e Irã) contra Israel, onde serão destruídos seus exércitos. Isso deve ocorrer antes do Armagedon, para deixar livres os 2 blocos finais, Ocidente x Oriente, que estarão englobando o mundo todo na batalha final (Jl.3:2).
Para que tudo ocorra segundo o predito na Bíblia, algo tem que acontecer: a Rússia se envolver mais no Oriente Médio, mais países árabes e islâmicos se aliarem e a belicosidade contra Israel aumentar. O barril de pólvora tem que crescer. E os países se armarem. É onde vejo se cumprir a profecia de Joel 3:9-12. As nações ao redor de Israel todas têm que se envolver, a “jihad” (guerra santa) tem que se acirrar. É ordem de Deus. E todas as nações se armarem. Quanto à “jihad” a chamada “Primavera Árabe” já está se encarregando de cumprir. A ajuda do Sr. Obama é fundamental para isso. Ele está desestabilizando (para ser contra Israel) tudo que estava antes “estabilizado” com Israel.
Quanto a transformar os arados e podadeiras em armas (Jl.3:10) é o que estamos vendo. O conceito moderno de guerra eletrônica, concentrado em mísseis, está mudando todo conceito de guerra, todo tipo de armamento e fazendo os países investirem pesado nisso. E se aliarem a quem tem tecnologia, como a Rússia. Aos EUA eles nunca se aliarão.
Finalmente, para que as condições de cumprimento de Joel 3 se cumpram, os países ao redor de Israel todos têm que se envolver. Falta agora só a Jordânia. E a situação na Síria está mostrando isso. A Rússia também vai ter um papel de relevo nesses acontecimentos do fim.
É só olhar o rumo dos acontecimentos. Mas não se esquecer de olhar também a Bíblia!
Paz!