terça-feira, 16 de junho de 2015

CRENTES e CRENTES

O QUE EU TENHO A VER COM ISSO?

Pr. Érico Rodolpho Bussinger

. Um aspecto difícil para um cristão é entender a nossa relação para com o mundo. E eu tenho verificado que esse conceito é muito mais difícil de ser absorvido por aqueles que tiveram um berço evangélico, que não passaram por uma “conversão “ drástica, ou radical. Ao se nascer num “lar evangélico”, a gente se “acostuma” com o padrão moral evangélico e em geral segue esse padrão até à vida adulta. A vida de um crente “tradicional”, ou seja, que recebeu o ensinamento religioso desde o berço, em geral não inclui uma decisão radical de abandonar um mundo “pecaminoso”. Mesmo porque essa pessoa nunca “conheceu” esse mundo assim tão mau.

. Ao crescer, a criança cristã vai desenvolvendo as suas “fronteiras” de relacionamento com os outros, em geral “aceitando-os” do jeito que são, sem se “horripilar” com seus pecados e seu modo de vida. Esse “se acostumar” com isso é onde exatamente reside o perigo, uma vez que ronda de perto a atitude de “se conformar” com o mundo. Em Rm.12:1,2 somos informados do quanto é mau o se conformar com o mundo. Segundo Deus, o mundo é mau, posto no maligno (1Jo.5:19) e quem amar o mundo o amor do Pai não está nele (1Jo.2:15,16).

. Para o crente que se converteu adulto, após ter vivido muito numa vida de pecado, essa separação fica mais nítida. Já para “o crente de berço” é muito mais fácil aceitar uma atitude de “amizade” com o mundo. Não é “pertencer” a ele, mas a sua amizade já é suficiente para esse “crente bonzinho” se tornar “inimigo de Deus” (Tg.4:4).

. Para o crente mais radical, o mundo vai de mal a pior. E ele sofre por isso. E sempre pensa naqueles que como ele outrora agora ainda estão lá no mundo. Já o “crente de berço” tem mais facilidade de ter uma atitude que se resume em: “Éh! Mas e eu o que tenho a ver com isso? Eu sigo a minha vida”.

. Deus quer de nós certamente uma atitude de humilhação, choro e oração pelos que estão perdidos lá no mundo (Joel.1:14 e 2:13). E um desejo forte e urgente de ir evangelizá-los (Mc.16:15,16). É o mínimo que se espera de alguém que é “sal da Terra e Luz do mundo” (Mt.5:13,14). Enquanto isso, o crente acomodado (com o mundo) se limita a dizer: “Éh! Mas e eu com isso? Eu estou dando o meu testemunho (moral)”...

. Neemias se tornou o que foi, exatamente por isso. Estando nomeado para um alto cargo no Governo, ele não se conformou com o mundo e decidiu chorar e orar para ser enviado ao seu povo para sofrer com ele e assim poder “evangelizá-lo” (Ne.1:3-11).

Você tem chorado? Ou o mundo está bom para você?

. Quanto aos que vão morrendo no pecado, será que você diz: “E eu com isso?”