quarta-feira, 17 de junho de 2015

O QUE VALE É O PRESENTE

O QUE VALE É O PRESENTEPr. Érico R. Bussinger

A Bíblia contém muitas histórias e testemunhos, bem como juízos de Deus sobre pessoas muitas. Creio eu que a razão principal pela qual o Senhor fez a Bíblia assim tão farta é que Ele queria nos ensinar muitas lições preciosas através da descrição da vida daquelas pessoas.

Dentre os muitos personagens descritos na bíblia, alguns foram vencedores e nos servem de exemplo, apesar de também terem apresentado falhas, e algumas falhas realmente lamentáveis. Outros simplesmente “viveram”, como muitos reis de Israel simplesmente descritos rapidamente nas páginas sagradas. Muitos foram derrotados, arruinados, se desviaram feio e seus nomes estão registrados, bem como suas obras, para nos servirem de alertas.

Em tudo, verificamos que o que fez a diferença entre a “nota” que a Bíblia lhes atribui, como por exemplo a descrição dos reinados nos livros dos Reis, foi o que eles “fizeram”. O local de seu nascimento, sua idade, descendência, cultura e outras características simplesmente são consideradas secundárias pelo Senhor, que cremos ter inspirado toda a Bíblia. A galeria dos chamados “heróis da fé” de Heb.11 nomeia os mais destacados personagens bíblicos pelo que fizeram, sem querer fazer injustiça a outros também e inclusive “deixar a porta aberta” para nós nos incluirmos lá também.

Em Ap.20:15 entendemos que o critério pelo qual Deus julgará as pessoas são as “obras”, não importando muito as intenções, as desculpas ou mesmo as circunstâncias. Em outras palavras, nada que ocorre à sua volta, incluindo as dificuldades e as lutas, atenuará as conseqüências de suas más obras, nem valerão para reforçar o efeito de suas boas obras, quanto ao galardão que você receberá (ou não receberá). Somente as suas obras serão consideradas.

Vemos, portanto, que o único critério que norteará o seu julgamento pelo Senhor é o que você faz. As pessoas muito “paradas” ou “tímidas” que se cuidem...

Olhando bem, algumas pessoas ficam muito precavidas, examinando demasiadamente o passado e acabam perdendo o “bonde” do presente, não produzindo muito para o seu Senhor, como que “escondendo” o talento recebido. Outros ficam olhando demais para o futuro, somente “sonhando” sonhos que não se realizam e também nada produzem. Os elogios do Senhor dos “talentos” vão ser somente para os “servos bons e fiéis”, que trabalharam e produziram.

Se alguém pensa que as lutas e dificuldades que enfrenta podem servir de “desculpa”, é bom lembrar que na realidade isso pode é irritar mais ainda o Senhor, pois se Ele não nos negou o seu próprio Filho (Rm.8:32), estaria de bom grado disposto a nos dar com Ele todas as coisas. E por que então nós simplesmente “não o quisemos”? Tudo estava ao alcance da nossa fé. O Senhor gostaria de ter feito os maiores milagres para que vencêssemos as nossas dificuldades e produzíssemos frutos. E por que então isso não ocorreu? É claro que foi somente porque não o quisemos. Será muito triste!

Então, aproveite cada minuto hoje e produza alguma coisa para o seu Senhor. Antes que seja tarde demais.

Paz!