quarta-feira, 17 de junho de 2015

A DESOBEDIÊNCIA CONSCIENTE

A DESOBEDIÊNCIA CONSCIENTE
Pr.Érico Rodolpho Bussinger

. É sabido que vivemos em um mundo posto no maligno (1Jo.5:19). Estamos nele, mas não devendo pertencer a ele (Jo.17: 15,16). Essa ambigüidade de naturezas faz o cristão experimentar dificuldades que o homem natural não tem. Por exemplo, devemos sim obedecer às autoridades –Rm.13:1-(cremos que todas constituídas pelo Senhor, até aqueles que são incrédulos ou maus aos nossos olhos). Mas pergunta-se: “obedecer cegamente, em tudo?”. E naquelas situações em que, se obedecermos, estaremos pecando? E no ambiente de trabalho, até onde devemos obedecer aos nossos chefes ou patrões?

. Obedecer é a marca de reconhecimento de um cristão. A fé é necessária (Hb.11:6), mas não é tudo para a salvação. Se não houver resultados práticos, a fé é morta (Tg.2:26). E em conseqüência, uma fé morta não pode salvar. O resultado prático mais evidente na vida de um nascido de novo é a obediência. Se não há obediência, essa pessoa será apenas religiosa, mas não terá salvação (fé morta).

. Por outro lado, obedecer também é a marca característica do natural habitante do mundo (Rm.6:16). O mundano é um escravo do pecado. Ele “sempre” obedece ao pecado, pois que é um escravo pela sua natureza.

. Todos são escravos(Rm.6:16). Uns pela sua natureza, são escravos do pecado, porque não conseguem deixar de pecar. Outros, pelo conhecimento da verdade foram libertos e se tornaram livres (Jo.8:32). E usando da sua liberdade, se tornaram espontaneamente servos de Jesus e de Sua justiça(Rm.6:16), única maneira para se obter o perdão proveniente do sacrifício de Cristo (2Co.4:5). Em outras palavras: Tornar-se religioso (ter fé) não garante salvação, mas tão somente se tornando servo de Jesus, para assim tê-lo como Senhor(At.16:31).

. Se temos todos que obedecer, a questão é: “obedecer a quem?” (Rm.6:16). No mundo, quando o cristão se depara com essa decisão e as alternativas são opostas, tem que prevalecer o valor maior. Entre obedecer a um chefe no trabalho e a Deus, a escolha já deve estar feita. Entre obedecer ao Governo terreno ou a Deus, também. Entre a esposa obedecer ao esposo ou a Deus, igualmente. Quando o filho não pode mais obedecer aos pais, pois contrariaria a Deus, se aplica o “deixar pai e mãe, por amor a Jesus”.

. No livro de Daniel, vemos o exemplo de seus amigos, Hananias, Misael e Azarias (o Sadraque, Mesaque e Abede-Nego), que preferiram a morte à obediência que incluía idolatria (Dn.3:14-23). Isto se chama a “desobediência civil” ou “desobediência consciente”. É quando a gente sabe que está desobedecendo. Conhece as leis, sabe da situação, está consciente da punição, mas opta pelo Senhor. Essa atitude extrema, quando tem que acontecer, agrada a Deus e orna a fé e o testemunho cristão. Você já passou por uma situação dessas, em que teve que desobedecer connscientemente e assumir a pena?

. Cremos que a cada dia mais, à medida que a volta de Cristo se aproxima, nós teremos, como cristãos, que enfrentar cada vez mais situações parecidas. E Satanás sabe também o sabe. Por isso ele vai nos empurrar a situações tais. Você vai se sentir uma ovelha em meio a verdadeiros lobos. E Deus vai permitir. Constrangido, você vai ter que assumir a sua desobediência consciente. Mas não se preocupe. Deus estará com você e lhe dará o que responder ou agir (Mt.10:16-20).

. Nessas situações, pode ter certeza, Deus estará esperando de você atitudes firmes, para poder se gabar de você perante Satanás, como fez com Jó. Já pensou, você,  um herói de Deus?