terça-feira, 16 de junho de 2015

CRISTÃOS DESOBEDECEM ÀS LEIS?

O CRISTÃO e as LEIS (HUMANAS)
Pr.Érico Rodolpho Bussinger

Nós cristãos temos observado (e sentido) que o mundo nos é cada vez mais agressivo. E tentador (1Jo.5:19). Mas isso é um direito dele!?!? Observamos que nos chamados países democráticos as leis têm sido cada vez mais fortes. Sempre se alega que é em benefício da “sociedade”. E a maioria vai gerando leis. Podemos dizer que cada vez mais assistimos a uma “mistura de ferro com barro”, isto é, uma verdadeira “ditadura da maioria”. A maioria impõe leis e a minoria “tem que sofrer” essas leis que lhe são impostas. Tudo em benefício da “sociedade” ou do “bem comum”. O fato é que normalmente uma maioria se modela com propaganda ou mesmo pode ser comprada com fraude (desde que a fraude seja aceita pela maioria). É o que estamos vendo frequentemente no Brasil (e no restante do mundo também). A corrupção em favor dos pobres ou da maioria é sublevada ou mesmo inocentada nos tribunais.

Dentro desse ponto de vista, nós, cristãos, sendo minoria, vamos ver os valores e as bandeiras da maioria nos serem impostos. No âmbito moral, p.ex., somos ridicularizados e nossos filhos são expostos a uma programação imoral de Televisão, a aulas imorais e obrigatórias nas escolas, a constrangimentos imorais e propagandas homossexuais em toda parte. Se a maioria aprova, mesmo que o faça através de urnas eletrônicas “não seguras” (ou fraudáveis), não importa(para eles). A institucionalização da indústria de novelas e de “motéis” é outro exemplo. Parece até que todos aceitam e ninguém se levanta contra.

Em outro exemplo, uma audiência pública sobre o aborto, perante mulheres autoridades do Governo, demonstrou algo interessante: Enquanto entidades feministas recebem financiamentos do exterior (Fundações Rockfeller, McArthur e Ford) e elegem senadoras representantes e delegadas a essas audiências, e são ouvidas, as mulheres que querem combater a liberdade do abordo são tolhidas. Quando se manifestam, a mesa nem presta atenção. E as conclusões nos são impostas. Pretensamente tudo foi “vontade da maioria”. E tudo foi feito “democraticamente”. Houve até audiências “públicas”...

Esse chamado “método democrático” de nos passar um verdadeiro “rolo compressor” sobre a voz de protesto estará cada vez mais sendo utilizado (como no Irã). Em breve vem por aí um verdadeiro “pente-fino” nas leis do Brasil, à luz do PNDH-3 e da chamada “Comissão da Verdade”, para nos redefinir o que é família, o que é moral, direitos humanos, o que é ético e assim por diante.

Com liberdade para fazerem leis desse tipo, votadas debaixo da maldição divina (Is.10:1), não vai demorar a nos cassarem o direito à voz (evangelização), à escolha moral, à educação de nossos filhos e a tantas outras liberdades. Tudo “em favor da sociedade”. Porque a maioria o quer assim.

Creio ser mais do que chegada a hora de nos levantarmos, como os apóstolos em Jerusalém (At.4:19): “Julgai vós se é correto obedecer a vós antes de obedecer a Deus”. Nossa escolha está feita: “obedeceremos a Deus. Não podemos deixar de falar o que Ele nos mandou (que todos são pecadores, portanto, arrependei-vos). Também o exemplo de Josué precisa ser repetido: Mesmo que seja “contra todos- a maioria”, eu e a minha casa serviremos ao Senhor. E como Ageu e Zacarias profetizaram em nome do Senhor (Ed.5:1,2): “Mesmo que haja uma ordem contrária do rei, edificai...”

O que ocorrerá quando os cristãos começarem a “desobedecer” às leis
 (por exemplo, pregando contra o homossexualismo ou pregando quando o for proibido)? O que nos farão quando desobedecermos às leis (ainda que sejam imorais), votadas pela maioria? Dá para imaginar um país assim, daqui a 10 anos?

Você está preparado(a) para as conseqüências? E ainda assim escolher o Senhor?