terça-feira, 16 de junho de 2015

ÍDOLOS e DEUSES

ÍDOLOS e DEUSES
Pr.Érico Rodolpho Bussinger

Quando tive de Deus a direção de escrever algo sobre o assunto, eu me deparei com o imenso grau de dificuldade envolvido, principalmente no fazê-lo de forma resumida. Em pesquisas teológicas, o caminho não nos é facilitado. Pelo contrário. Mas eis o que achei:

O assunto de “culto” se reveste de importância porque o próprio Deus o colocou no início da lista de “mandamentos” que lhe fora encomendada pelos israelitas (Ex.20:3,4). Até hoje, decorada, todos conhecem essa lista: “Não terás outros deuses diante de mim e não farás para ti imagens” (ídolos)...Nem pensar em lhes dar culto. Afinal, como cumprir esses 2 primeiros mandamentos?

O ser humano é limitado, mas sabe que existe o “mundo espiritual”- inclusive o que é a base e o início do espiritismo- não fica dúvida alguma sobre a existência no universo de seres que não vemos. Genericamente poderiam todos serem chamados de “deuses”, dotados cada um de alguma capacidade que nós humanos ignoramos. Se “eles” podem nos fazer alguma coisa, devemos respeitá-los, tomar cuidado com eles, procurar conhecê-los ou mesmo tentar cultuá-los, neste caso até lhes fazendo alguma imagem para veneração. Isto é adorar. É o que o mundo faz. O que as religiões levam as pessoas a fazer.

Adorar é dar atenção, tempo, de maneira reverente. Quem não conhece a Deus (e portanto está debaixo do pecado) vai se perder nesse emaranhado de mistérios do sobrenatural (metafísico).

A única posição que garante segurança quanto à influência de qualquer entidade sobrenatural ou espiritual é conhecer a Deus e se relacionar com Ele. Isto só é possível através de Jesus e em nenhuma outra religião. Este é o propósito de Deus ao enunciar os 2 primeiros mandamentos, que se interrelacionam: “não adorar outros deuses” e “não dar culto a ídolos”. O Senhor quer exclusividade (Tt.2:14). Ele exige toda a atenção. Dar respeito (religião) a alguma outra divindade ou algum ser sobrenatural é pecado. De igual forma, dar atenção (culto) a qualquer objeto (ou imagem) é idolatria, pecado também.

Quando o diabo ofereceu a glória do mundo a Jesus se tão somente Ele o adorasse, bastariam cerca de 15 minutos de reverência para que Jesus caracterizasse transgressão ao 1º. Mandamento de Deus. Jesus disse que estava escrito: “Ao Senhor teu Deus adorarás e só a Ele darás culto” (Lc.4:8). Mas isso não está escrito assim no Antigo Testamento em lugar algum. É que Jesus o enunciou de forma diferente. Para nós é mais claro. Por exemplo, quando alguém teme o azar, tem medo da morte, supervaloriza o “mamon” (deus do dinheiro), ou foge de demônios, é claro que ela não está adorando unicamente a Deus e está incorrendo na transgressão do 1º. Mandamento. Quando alguém valoriza muito objetos de estimação, gasta tempo demais com filmes ou literatura, ou dedica todo o seu tempo a uma carreira ou mesmo à família, é evidente que isso se tornou para ela um ídolo e está se condenando no 2º. Mandamento, pois que está dando “culto” a essas coisas, que estão lhe sendo ídolos.

Um deus tem vida. E pode ser conhecido através de uma imagem de si. Já um ídolo em geral é inanimado ou mudo (1Co.12:2). Um deus (p.ex.um demônio) pode tentar nos influenciar (1Pe.5:8). Um ídolo não. Nós é que somos atraídos aos ídolos pela nossa própria cobiça (Tg.1:14) . Um objeto pode nos ser atraente(como o fruto proibido), ou mesmo um ideal (humanismo, solidariedade universal, paz no mundo, salvação do planeta, etc.). Um ídolo pode nos atrair. Mas não pode nos forçar. Já um “deus” ou demônio tem algum poder. E dependendo das circunstâncias, pode nos atingir. Veja o que Satanás pôde fazer com Jó (embora sob a permissão de Deus).

O mundo não é um “deus”, mas existe atrás dele um “deus deste século” (2Co.4:4), que é Satanás. Para se manter livre de ser tocado pelo “deus deste século” (1Jo.5:18) a pessoa tem que disponibilizar um tempo (diário) para estar em contacto com Deus (e com a vida limpa), a fim de cumprir o 1º. Mandamento. Caso não reserve esse tempo diário para Deus, já está pecando, pois não O está adorando, embora possa até dizer que não “adore” outro “deus”.

O mundo que vemos foi criado por Deus. E é o pecado do homem que o está estragando (Rm.8:19-21). Mas ele ainda mantém muito da beleza da criação. E o mundo pode se tornar um ídolo e nos afastar de Deus. Daí a exortação de Deus em 1Jo.2:15,16. Não amar o mundo nem as “coisas” que no mundo há é cumprir o 2º. Mandamento.

E aí? Você “gosta demais” de alguma coisa no mundo? Cuidado com o 2º. Mandamento.

Você reserva um tempo todo dia para estar com Deus (p.ex. para ler a Bíblia) e fazer alguma coisa para Ele (isso é dar culto a Ele)? Então, cuidado com o 1º. Mandamento.

Que o Espírito Santo lhe ajude.
Paz!