terça-feira, 16 de junho de 2015

DEIXE MATAR CERTOS SONHOS

A TEOLOGIA DOS SONHOS
Pr. Érico Rodolpho Bussinger
"Teologia dos Sonhos" de nossos dias descamba para um lado romântico-humanista, com muita ênfase no auto-otimismo e se volta para os ideais de auto-realização. E é claro que muita gente gosta disso.
Mas não é mesmo o que Deus ensina. Vamos à Bíblia!
Os sonhos significativos que a Bíblia registra (como os sonhos de Jacó, de Labão, de José, do padeiro, do copeiro e do próprio Faraó, de Daniel e de Nabucodonozor, de Daniel, de José da Maria e muitos outros) eram "revelações" de Deus. E não sonhos de barriga cheia ou o desabrochar de arroubos utópicos de vaidades pessoais.
Deus se utilizou muitas vezes da ferramenta de sonhos para fazer Sua vontade conhecida dos destinatários, em um ambiente de silêncio, quando as pessoas dormiam.
O discernimento, entretanto, dos sonhos se faz necessário, uma vez que também Satanás faz as pessoas sonharem. Um exemplo muito claro disso foram os sonhos de Elifaz, "amigo" de Jó, que usado por Satanás, o inimigo (protagonista do livro de Jó), influenciaram a fala dos demais "amigos" e se transformaram no principal suplício do pobre sofredor. Cf. Jó 4:12-16
Deus próprio, que tantas vezes se utilizou de sonhos para se revelar (Nm.12:6), também nos deixou o alerta de que nem todo sonho é de Deus (Jer.23:28). Há muitos sonhos que são apenas resultado de pesadelos, fortes impressões no subconsciente ou mesmo o dormir "pesado", após comer muito. Para que o sonho tenha valor, significado e deva ser respeitado é necessário que Deus mesmo dê essa convicção para o "sonhador". Como o exemplo de Salomão (1 Re.3:5). E também o necessário discernimento. E é onde também entra a função da sabedoria. Discernimento espiritual junto com a sabedoria.
Mas o sentido da palavra sonho mais utilizada hoje diz respeito aos desejos humanos, carnais, que podemos afirmar são em grande parte casos psicologicamente explicados, como resultados de muita abstração mental. Eu penso mesmo que o hábito de "ingerir" ficções, como novelas, romances, desenhos animados, filmes e literaturas várias, contribui muito para essa verdadeira "vida virtual", que faz a pessoa "sonhar" muito, em geral vaidades.
Normalmente esses sonhos "utópicos" não têm pé na realidade e não são motivados pela fé, pois que esta tem um "firme fundamento", que é a vontade de Deus (Hb.11:1). E a presunção não. Em resumo, sonhar sonhos de Deus é ter revelações de Deus e crer nisso pela fé. Já o sonhar sonhos carnais não deixa de ser uma extrapolação da vaidade humana (Ecl.5:7), uma projeção do "ego" da pessoa, uma espécie de compensação pelo tanto se frustrar na vida real. Salomão, que entendia disso, afirmou que muitos desses sonhos provêm dos "trabalhos" (ou sofrimentos) das pessoas (Ecl.5:3).
Os sonhos carnais, ou advindos de vaidades, trazem conseqüências maléficas e afastam as pessoas de Deus e do caminho da verdade (Jer.23:27,32). É o caso do jogador em loterias, que esperando ganhar milhões, despreza o pouco do dia-a-dia e ainda desse pouco desperdiça jogando. É o caso também do “sonhador” de coisas grandes, que não faz nem as pequenas. Desses há muito nas igrejas. Sonham com grandes obras e grandes realizações, mas não cuidam nem das poucas pessoas que Deus lhes confia. Certamente esses “sonhadores” receberão condenação muito forte da parte do Senhor.
Alguém perguntará: E então sobre os sonhos oriundos do "derramar do Espírito" (Jl.2:28)? "Derramarei do meu Espírito sobre toda carne... e sonharão vossos velhos". São exatamente esses os sonhos que devemos buscar, sonhos que nos são dados pelo Espírito Santo, como revelações de Deus. Que nos levam a amar. E não os sonhos nossos de grandezas pessoais, abundância financeira e realizações amorosas paradisíacas.
Em Tg.4:13 o Senhor nos exorta a não nos guiarmos pelos nossos sonhos. Ai daquele que diz "eu farei isto ou aquilo, irei para tal cidade e ganharei muito dinheiro, etc." Segundo Deus todos esses sonhos são resultantes de "arrogantes pretensões" (Tg.4:16). Sonhos desse tipo são de origem maligna. Mas a gente se estarrece, pois são exatamente esses os sonhos que as pessoas hoje em dia mais querem nas igrejas, mais sonham e também mais cantam em seus “louvores”.
Concluindo, Deus abomina também os "pregadores de sonhos" (Is.30:9-11) e os chama de "pregadores de prazeres e de ilusões". Deus nos manda "apartar" desses rebeldes. Mas a maioria dos crentes gosta de ouvir essas pregações, que em geral arrogam grandezas.
Afinal, você também gosta de ouvir os pregadores de ilusões (Is.30:10), em geral na TV, profetas de coisas aprazíveis e de grandes realizações? Deus não gosta nãoLeia cuidadosamente os textos bíblicos citados e conclua! Mas esses pregadores estão se multiplicando nas igrejas. E estão ficando famosos também...E ricos!
Estarei enganado, fora da “realidade”? Ou sonhando outros sonhos?