terça-feira, 16 de junho de 2015

AUTORITARISMO e QUERER MANDAR NA IGREJA

Leia o que escrevi, num dia em que celebramos 1 ano de Rádio Livre- AM 1440- hoje um sucesso no Rio de Janeiro, numa reunião com muitos pastores: QUEM É QUE MANDA NA CASA DE DEUS?
Pr. Érico Rodolpho Bussinger
A resposta mais óbvia que alguém daria a esta pergunta seria que quem manda na Casa de Deus seria o próprio Deus. De fato isto seria o mais óbvio. Mas como estamos acostumados com paradigmas humanos, podemos ficar confusos. Nem sempre o que manda numa casa é o dono da casa. Quem mais manda numa empresa nem sempre é o seu dono. Quem mais manda no Governo nem sempre é o chefe do Governo. E assim, não nos é difícil imaginar que Deus, por “estar lá em cima”, deixa as coisas na Sua Casa um pouco à vontade das pessoas. Na prática isto significa política na Igreja; Liberdade para a disputa pelo poder. E sempre há pessoas “querendo mandar” na igreja. Os resultados nós vemos facilmente à nossa volta.
No livro de 1 Crônicas cap.9 há citações interessantes com relação à organização das atividades no templo: São mencionados os israelitas, os levitas, sacerdotes, servos do templo, cantores, príncipes, porteiros, guardas, Davi, Samuel, etc. Fica um pouco difícil para nós hoje estabelecermos uma hierarquia de cargos na organização religiosa daquele tempo.
Em nossos dias também cada denominação cria a sua hierarquia de cargos e funções, visando o bom funcionamento das atividades da igreja. Há funções de pastores, presbíteros, diáconos, evangelistas, bispos, apóstolos, anciãos, cargos de diretoria, ministros específicos, etc. E como somos humanos é evidente que todos querem sempre saber a mesma coisa: como é a hierarquia? Quem é que de fato manda? E mesmo naquelas igrejas onde há vários pastores, quem é o maior deles? E mesmo que digam que todos são iguais, quem é o “mais igual” entre eles?
Em 1Cr.9:22 há a menção de que “Davi e Samuel os constituíram cada um no seu cargo.” Não temos detalhes na Bíblia de como isso aconteceu. E mesmo Samuel pertence a outra geração e pouco contacto teve com Davi. No entanto Davi representava o poder civil e, portanto, em princípio, não deveria “mandar” na igreja. Não havia, portanto, uma hierarquia bem clara. E Deus queria assim. Cada qual deveria ser autoridade na sua função e ser reconhecido como tal. Embora nós humanos gostemos de autoritarismo, Deus não, razão pela qual Ele nunca planejou que Israel tivesse um rei humano. Isso só ocorreu por um desvio claro dos propósitos de Deus. A estrutura do povo na época dos juízes deveria funcionar, uma vez que foi estabelecida pelo próprio Deus. Mas não funcionou, devido ao pecado do homem. Essa confusão descambou para o reinado, onde os reis foram piores e o povo se afastou mais ainda da vontade de Deus.
Em nossos dias grande parte das más conseqüências e escândalos que desabam sobre a igreja provem exatamente do “mandonismo”, sempre presente nos corações dos líderes(Tg.4:1-3). Se todos fossem servos na igreja, se todos estivessem cada um no seu lugar, a igreja funcionaria, “efetuaria o seu próprio aumento para edificação de si mesma em amor” (Ef.4:11-16).
Mas não é assim. Infelizmente. Uns querem “mandar” e deter o controle do dinheiro. Outros querem fazer “grupinhos” e “partidos”, para terem uma posição privilegiada na igreja. E o Senhor Jesus, que deveria ser a autoridade maior na igreja, quando Ele é ouvido? Ao meu ver Ele só é solicitado nas orações dos crentes, para atender e fazer milagres. No mais, inclusive na aplicação do dinheiro, Ele normalmente não é chamado. Você já ouviu alguma oração assim: “Senhor, mostra-nos como devemos aplicar esse dinheiro das ofertas?” Eu pelo menos nunca ouvi um líder orar assim. Eles sempre acham que sabem. E mesmo lutaram para ter esse direito. Com o “mando” do dinheiro nas mãos deles é fácil para nós imaginar como os demais escândalos acontecem (1Tm.6:10)
Nas palavras do Mestre é necessário que esses escândalos ocorram, para que conheçamos quem é cada um (1Co.11:18,19). Mas que é duro é, ver alguém “mandando” na casa que é de Deus!