terça-feira, 17 de maio de 2016

CRENTES QUE LOTAM OS TEMPLOS HOJE

VOCÊ É CRENTE DE  DECÁPOLIS?
                                     Pr. Érico  Rodolpho  Bussinger
     Uma história da Bíblia que sempre me impressionou é a do endemoninhado gadareno (Mc.5).  Com algumas variantes, 3 evangelhos descrevem aquele homem possesso de demônios com uma força colossal, incapaz de ser preso ou amarrado. E por isso mesmo todos tinham medo dele e respeitavam os espíritos que o possuíam.  Após um período de intensas atividades do lado de cá, Jesus atravessou o Mar da Galiléia com seus discípulos, buscando algum descanso.  E desembarcou do outro lado, na cidade de Gadara, que fazia parte do território denominado Decápolis (10 cidades), cuja maioria de habitantes era de gentios. Seus costumes eram diferentes e ali eles valorizavam os porcos, que criavam normalmente.  Logo ao desembarcar, o endemoninhado veio a Jesus e se prostrou diante dele, declarando que sabia quem Jesus era, o "Filho do Deus Altíssimo".  O relato de Marcos nos diz que Jesus queria expulsá-los.  Antes, porém, de saírem do endemoninhado, os demônios tentaram "negociar" com o Senhor uma saída honrosa.  Jesus não tinha nenhum interesse na publicidade e aceitou a sugestão dos demônios, permitindo-lhes entrar nos porcos.  Estes, em número de cerca de 2.000 (é muito difícil contar), se precipitaram no mar.  Todos tinham pelo menos um demônio. Se o número de legião, falada pelos demônios, era de 6.000, então deu uma média de 3 demônios por porco.



     Há muitas lições que tiramos desta história, como o fato de demônios entrarem também em animais, como o fato de Jesus ter permitido aquilo e outras.  Mas eu quero me referir à atitude dos habitantes daquele lugar.  Após se certificarem do que ocorreu, eles pediram que Jesus se afastasse dali.  Evidentemente era o medo de que outros prejuízos ele pudesse causar ali além daquele (cerca de 1 milhão de dólares).  Pela descrição, esta era a decisão unânime dos habitantes do lugar: não queriam Jesus ali! 
     E Jesus voltou imediatamente.  Mas não sem antes dar instruções ao "novo crente", o ex-endemoninhado: "Volta para os teus e conta-lhes o que o Senhor te fez e como teve misericórdia de ti"(Mc.5:19).  Ao retornar, Jesus foi recebido por uma multidão sedenta.  Mas a marca da sua estada rápida em Decápolis não foi apagada.  O homem, livre de demônios, obedeceu ao Senhor e pregou em toda a região (Mc.5:20).  O resultado foi espantoso.  Mais tarde, na mesma região de Decápolis, outros ainda viriam a ser abençoados pelo Senhor Jesus, pelo que ficaram maravilhados e reconheceram a beleza de sua obra (Mc.7:31-37).
     Em resumo, os habitantes de Decápolis não eram maus. E muitos se converteram ali.  Mas eles representam o tipo de crentes que prefere as bênçãos ao próprio abençoador.   Da mesma maneira que o povo de Israel no Sinai, que ficou apavorado com a manifestação da pessoa de Deus, preferindo a Sua Lei "escrita", estes de Decápolis também rejeitaram a presença do Senhor Jesus, mas aceitaram de bom grado o seu testemunho dado pelo homem liberto.
     Em nossos dias abundam igrejas que têm como base e chamariz um grande templo, onde se realizam maravilhosas reuniões de shows religiosos, onde se apresentam missionários, testemunhadores, cantores e pregadores maravilhosos.  As pessoas vão em multidão a esses lugares.  Mas eles não querem uma experiência pessoal com o Senhor ou um compromisso com Ele.  Preferem "assistir".  Não querem eles mesmos passar pelas experiências, não querem compromisso, não querem o "ide" para eles, não querem pagar preço nenhum.  Eles se contentam em serem simplesmente expectadores das maravilhas de Deus.  E em muitos casos, só tele-expectadores (assistem pela TV).
    

A imensa maioria dos crentes não consegue evangelizar outros.  Não são capazes de orar por outros. Nunca viram alguém tomar a decisão pelo Senhor.  Eles mesmos nunca viram um demônio se manifestar em alguém.  Mas certamente sabem disso tudo, já assistiram a tudo isso alguma vez.  E gostam.
     É bom sabermos que não é com gente desse tipo que o Evangelho foi pregado e se espalhou.  Os crentes de Decápolis não querem Jesus muito perto.  Eles preferem apenas assistir às suas bênçãos.
     E você, é também um crente de Decápolis?