quinta-feira, 29 de outubro de 2015

ESTÁ CHEGANDO A HORA...

   CABO DACIOLO PROFETIZA AO BRASIL
                               Pr. Érico Rodolpho Bussinger
     Há muitos anos tenho profetizado para o Brasil uma época de crises que culminaria numa guerra civil. Não é profecia minha nem “adivinhação” do futuro. É uma palavra clara de Deus a respeito de uma nação e de atitudes que determinam a ação de Deus contra ela. No caso a profecia “SANGUE EM SÓLO BRASILEIRO” se destinava aos cristãos, exortando-os a intercederem a Deus em favor da nação. A ação de intercessão, é evidente, deve ser acompanhada de arrependimento e confissão de pecados (2Cr.7:14).
     Desde a época da profecia até hoje muitas coisas aconteceram, mas nenhuma catástrofe de âmbito nacional, a não ser inúmeras calamidades da natureza em pontos variados do país (seca, chuva em abundância, onda de frio, terremotos, pragas, etc.). A ação das forças da natureza tem sido uma das maneiras preferidas de Deus para alertar o Seu povo na nação. Isto, porque o povo de Deus é o termômetro da nação, devendo ser o seu “sal” e a sua “luz” (Mt.5:13,14). Mas ainda não foi o cumprimento pleno da profecia. O Brasil é hoje o país recordista em assassinatos no mundo. Mas ainda não é a guerra civil.  Várias mudanças de governo transcorreram nesse período de forma pacífica. Mas não houve mais revoluções, até hoje. Desde 1964.
     Atualmente nós vemos o clima político “esquentar” no Brasil. Mas ainda não ocorreu a tal convulsão social.  Parece-nos que Deus está dando “um tempo” de oportunidade ao Brasil, à semelhança do profeta Jeremias, antes da destruição de Jerusalém. E para o Brasil não me consta que Deus tenha “mudado de idéia”. Ou seja, a profecia continua de pé.
     Até pouco tempo atrás, quase ninguém falava nessas coisas. Mas ultimamente vários cristãos têm recebido profecias sobre a situação atual. A mais recente e marcante, a meu ver, foi a que o deputado federal pelo RJ, Cabo Daciolo, um crente de cerca de 10 anos de convertido, trouxe da tribuna da Câmara dos Deputados, em Brasília, no dia 21/10/15.  O tempo de fala de cada deputado é limitado. Em menos de 5min.  ele orou a Deus, deu seu testemunho de conversão e de sua prática de leitura da Bíblia e de oração nos montes, falou em línguas, citou a palavra bíblica que Deus tinha mandado (Jer.2:17,19) e exortou o presidente da Câmara e a bancada evangélica.  Exaltou a soberania de Deus, falou do “mar de lama” de corrupção da nação, do “acordão” entre o governo do PT e o PMDB e afirmou que Deus continua no “controle da situação”. Ou seja, uma palavra bíblica típica de um profeta de Deus.
     Essa profecia está gravada, pode ser vista no youtube por qualquer um e eu creio que devemos falar disso. O deputado teve coragem de sair do seu partido de extrema esquerda, o PSOL, teve coragem de ir contra o presidente da Câmara e contra a bancada evangélica, além de não fazer vista grossa aos erros do Governo. Muito provavelmente ele não será reeleito. Mas quem sabe se, para uma conjuntura como esta é que ele, um militar do Corpo de Bombeiros, foi elevado à posição de Deputado Federal? Eu creio que a posição dele deve ser a nossa: não apoiamos o mar de lama da corrupção, mas também não voltamos nossa bateria para simplesmente retirar a presidente da República ou o presidente da Câmara. Eles não são os únicos, infelizmente. Talvez mais culpado seja o eleitor, que tem votado em pessoas assim. Mas afirmamos nossa fé na soberania de Deus, que pode usar um Eduardo Cunha, como tem feito, apesar de ele ter feito o que fez (embora não tenha sido o único). Deus o tem usado, como a outros também.
     Quanto a nós, não devemos, no meu entender, ter preferências políticas, nem acalentar a ilusão de soluções humanas honestas. Devemos clamar a Deus sempre e pedir a Sua intervenção no país, ainda que seja pela dor, como parece que vai acontecer.
     Oremos, povo de Deus!